• Quinta-feira 21°11°C
  • pt PT
  • Google Tradutor
    Tradutor

Destaques Economia Emprego Institucional

Decisão desfavorável da direção da Adega Cooperativa sobre a venda do antigo edifício põe em risco a criação de Centro de Valorização Agroalimentar em Baião

A criação do Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia Agroalimentar na Antiga Adega Cooperativa de Baião, projeto estratégico para a região, está em risco devido à recusa da direção em vender o edifício à autarquia que, depois de esgotadas outras possibilidades, desenvolveu negociações com vista à aquisição do imóvel. O intuito seria o de qualificar e devolver à população aquele edifício emblemático, dotando-o das mesmas valências e somando-lhe outras, de que é exemplo a criação do novo centro.

Neste contexto, o município promoveu uma avaliação oficial que definiu valores, os quais foram apresentados ao presidente da Direção da Adega, colocando ainda a possibilidade de, em termos razoáveis, aqueles valores poderem ser negociados.

No entanto, a maioria dos membros da direção da Adega Cooperativa entendeu que os valores apresentados não iam ao encontro dos interesses da cooperativa, o que determinou a perda de interesse na venda do imóvel, mesmo levando em conta a vontade manifestada pela autarquia em negociar.

Lamentando a decisão da direção daquela instituição, o Executivo Municipal teme que se perca a possibilidade de assegurar financiamento, através de programas de apoio, para a requalificação de um edifício em degradação, e que seria transformado num importante polo de desenvolvimento. O projeto passava por concentrar num mesmo espaço importantes alavancas para a economia do território, colocadas ao serviço dos baionenses e da região, nomeadamente, o Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia Agroalimentar, projeto estratégico para toda a região do Tâmega e Sousa.

Recorde-se que, no âmbito da implementação deste projeto, a convite do presidente da Câmara de Baião, Paulo Pereira, a Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, visitou as instalações, em agosto de 2020, tendo assumido que o Ministério da Agricultura defenderia “o projeto a par com a Câmara Municipal aquando da procura de eventuais formas de financiamento para a sua materialização”, disse.

Consciente que a impossibilidade de aquisição daquele imóvel representa uma perda relevante para Baião, para os baionenses, em particular no que respeita ao futuro do setor primário, Paulo Pereira tem ainda alguma esperança que esta decisão da direção possa ser revertida.

UM PROJETO AMBICIOSO

A implementação do projeto, ambicioso, que visa a criação de um Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia para o Agroalimentar e Incubadora Rural do Douro, Tâmega e Sousa, em Baião, decorre da decisão do Conselho Diretivo da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, após a aprovação de um conjunto de projetos estratégicos para o desenvolvimento socioeconómico sustentável do território constituído por onze municípios.

A escolha do antigo edifício da Adega de Baião foi considerada ideal para alojar o Centro, tornando-se num equipamento estratégico para o desenvolvimento do setor primário em Baião e na região, que posicionaria o município como um ator de relevo. Por outro lado, reunia as dimensões e características necessárias, bem como a proximidade a acessos estratégicos, que serão reforçados com a construção da variante de Baião à ponte da Ermida e à ligação de Quintã a Mesquinhata.

PROJETO TRABALHADO POR RECONHECIDOS ESPECIALISTAS

Este projeto estratégico, trabalhado por especialistas de renome entre 2020 e 2021, aponta para a promoção e desenvolvimento da fileira agroalimentar na região do Tâmega e Sousa, com particular enfoque na prestação de serviços à pequena agricultura, estando para isso definido um conjunto de missões:

  • Criação e Transferência de Tecnologia, nomeadamente fornecendo o suporte tecnológico à fileira agroalimentar da região, com um enfoque especial na pequena agricultura.
  • Prestação de Serviços Avançados como a informação e vigilância tecnológica, aconselhamento técnico, testes e análises laboratoriais.
  • Promoção das Cadeias Curtas e Produtores Locais através da valorização dos produtos endógenos do território nos mercados locais e regionais, bem como através das compras públicas municipais.
  • Logística, oferecendo serviços de armazenamento e refrigeração para apoiar a cadeia agroalimentar.
  • Marketing e Apoio à Gestão, auxiliando na gestão de marcas, embalagens e rótulos, além de disponibilizar espaços expositivos e realizar eventos promocionais.
  • Promoção do Empreendedorismo Rural através da implementação de programas de incubação e aceleração para fomentar o empreendedorismo rural e a renovação geracional dos produtores.

O investimento inicial abrangeria instalações, equipamentos, mobiliário, sistemas de informação, bem como a conceção e implementação de um sistema de testes e certificação, além de um plano de comunicação.

A CIM-TS tem já elaborado um Plano Estratégico do Agroalimentar do Tâmega e Sousa que, na opinião do vereador dos Assuntos Económicos, José Lima “é essencial para a região e colocaria Baião como um centro de desenvolvimento do setor primário no território. Ficamos muito tristes se viermos a perder a possibilidade de financiamento e qualificação deste edifício tão simbólico, que seria destinado, precisamente, aos atuais utilizadores e a muitos outros, de Baião e da região. É, assim, algo incompreensível esta posição da direção, que, pelos vistos, nem sequer quis ouvir a sua Assembleia Geral sobre esta matéria”, lamentou o autarca.

AnteriorSeguinte

COMUNIQUE UMA OCORRÊNCIA
NO TERRITÓRIO DE BAIÃO

Alerte a Câmara Municipal de Baião para OCORRÊNCIAS no espaço público (quedas de árvores, fugas de água, estrada danificada, animais abandonados, entre outros…).

Clique AQUI para aceder à página de submissão de alertas.

Baião agradece-lhe o tempo dispensado.
Obrigado! ?

Quinta-feira 21°11°CSexta-feira 14°8°CSábado 18°8°CDomingo 19°13°CSegunda-feira 17°13°CTerça-feira 16°10°C

CONTACTOS ÚTEIS

Câmara Municipal

255 540 500

Praça Heróis do Ultramar 4640-158 Campelo - Baião

Seg. a Sex. : 09h às 13h - 14h às 17h

 

Auditório Municipal

255 542 918

Seg. a Sex. :  09h às 13h - 14h às 17h

 

Posto de Turismo

255 540 562

Seg. a Sex. : 09h às 13h - 14h às 17h Sáb e Dom. : 10h às 13h

 

Museu Municipal

255 540 550

Seg. a Sex. : 09h às 13h - 14h às 17h

Ver todos

[wpc-weather id=”69316″/]

FARMÁCIAS EM BAIÃO

Farmácia Queirós Cunha | Campelo

Morada
Rua de Camões, 172
Campelo

Telefone
255 542 340

Horário
Todos os dias > 08h30 às 22h00
Serviço noturno alternado

Farmácia Barbosa | Campelo

Morada
Rua de Camões, 360
Campelo

Telefone
255 541 113

Horário
Todos os dias > 08h30 às 22h00
Serviço noturno alternado

Farmácia Rocha Barros | Ancede

Morada
Rua da Capelinha, 71 e 75
Ancede

Telefone
255 551 425

Horário
Segunda a Sexta > 08h30 às 20h00
Sábado> 09h00 às 13h00 e 14h00 às 20h00
Domingo e Feriados > 09h30 às 13h00
Restantes horas, disponibilidade permanente mediante contacto telefónico

Farmácia de Gestaçô | Gestaçô

Morada
Rua Soeiro Pereira Gomes, nº 30
Gestaçô

Telefone
254 888 006

Horário
Segunda a Sexta > 09h00 às 20h30
Sábado > 09h às 13h00 e 14h30 às 20h30
Restantes horas, disponibilidade permanente mediante contacto telefónico

Farmácia Santa Marinha | Sta. Marinha do Zêzere

Morada
Rua 20 de Junho – Edifício Central Zezerense, LJ H
Santa Marinha do Zêzere

Telefone
254 888 193

Horário
Segunda a Sexta > 09h00/20h30
Sábado> 09h00-13h00 e 14h30-20h30
Domingo e Feriados > 09h00-13h00
Restantes horas, disponibilidade permanente mediante contactos telefónico

Farmácia Cardoso Cruz | Sta. Marinha do Zêzere

Morada
Rua 1º de Maio, nº 161
Santa Marinha do Zêzere

Telefone
254 881 900

Horário
Segunda a Sexta > 09h00/19h00
Restantes horas, disponibilidade permanente mediante contacto telefónico