• Terça-feira 31°19°C
  • pt PT
  • Google Tradutor
    Tradutor

Cultura Destaques

Câmara Municipal de Baião apresenta candidatura para adaptar a obra “A Cidade e as Serras” em filme

As personagens Jacinto e José Fernandes, da obra literária “A Cidade e as Serras” de Eça de Queiroz, poderão ganhar uma “nova vida” e ser adaptadas à grande tela.

A candidatura para o filme “A Cidade e as Serras”, foi submetida ao Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), que todos os anos apoia a produção de obras cinematográficas.

Caso seja aprovada a candidatura, a longa-metragem será realizada por Francisco Manso, produzida pela TAKE2000 do prestigiado produtor José Mazeda, e conta com o apoio da Câmara Municipal.

As filmagens serão realizadas maioritariamente no concelho de Baião, aproveitado ao máximo as paisagens e edificado que deram cor à história narrada pelo escritor Eça de Queiroz.

Para o presidente da autarquia baionense, Paulo Pereira, “é uma satisfação e uma honra podermos fazer parte de um projeto que visa levar para o cinema uma das mais importantes obras da literatura portuguesa, contribuindo, ainda, para o aumento da notoriedade a nível nacional e internacional de Baião, sendo um projecto de fôlego e de prestígio na linha da política de promoção que temos vindo a estruturar nos últimos anos, mas também um reconhecimento ao trabalho da Fundação Eça de Queiroz”, referiu.

O livro “A Cidade e as Serras”, nunca antes adaptado em filme, conta-nos a história de Jacinto, nascido e criado na opulência de Paris mas com riqueza produzida nas “terras de semeadura, de vinhedo, de cortiça e de olivados” dos seus antepassados em Portugal. Quando jovem, Jacinto acha que só podemos ser felizes aliando a cultura à técnica, e consequentemente gasta a sua elevada renda anual em livros e em todos os gadgets da altura. O sumptuoso 202, nos Campos Elísios, era uma montra de progresso técnico, com eletricidade, elevador, telefone, telégrafo, máquina de escrever, máquina de calcular, e uma biblioteca com mais de trinta mil volumes. No entanto, Jacinto passa a sua sumptuosa vida a exclamar “que maçada” a tudo o que o rodeia e a tudo o que lhe acontece.

Aos 34 anos, pela primeira vez, Jacinto resolve vir a Portugal, a Tormes (Baião). Previne por carta o seu procurador da viagem, encomendando-lhe obras à casa da Serra e envia três dezenas de caixotes com o indispensável para os seus pequenos confortos. Parte uns meses depois com 23 malas para uma estadia estival no Douro. Uma série de percalços determinam que Jacinto chegue a Tormes sem que ninguém o espere, tendo-se as 23 malas transviado e os caixotes desaparecido algures entre Paris e Tormes. Apenas com a roupa que tem no corpo, Jacinto chega a uma casa em ruínas, sem mobília e sem que ninguém saiba que ele está a chegar. A carta também se tinha perdido e as obras na casa ainda nem tinham começado e é assim que o mais dandy de todos os parisienses se vê compelido a dormir num colchão improvisado com roupas emprestadas dos caseiros…

 

José Mazeda

José Mazeda, fundador da produtora Take 2000, nasceu em 1950 em Macedo de Cavaleiros e fez o curso da Escola de Cinema do Conservatório (actual Departamento de Cinema da ESTC). Produziu filmes como: “O cônsul de Bordéus”, “Assalto ao Santa Maria”, “Adriana”, “El viaje de Carol”, “O Rapaz do Trapézio Voador”, “Quando o Sol Toca na Lua”, “Mararía”, “Atilano, presidente”, “Le bassin de J.W.”, “Secretos del corazón”, “Ao Sul”, “A firma Pereira”, “Amor & Alquimia”, “Rosa de Areia”, “Le cercle des passions”, “Rita”. Foi diretor de produção (responsável pela equipa portuguesa) de “The Ninth Gate”, um filme de Roman Polanski, e de vários outos filmes, e foi ator não creditado em “Le bassin de John Wayne”, um filme de João César Monteiro.

 

Francisco Manso

O realizador Francisco Manso, nasceu em Lisboa, a 28 de novembro de 1949, conta com uma longa e produtiva carreira, iniciada na década de 80, e um vasto currículo que inclui várias produções premiadas internacionalmente. Autor de diversas longas-metragens realizadas para cinema, com destaque para “O Testamento do Senhor Napumoceno” (1997) e “O Cônsul de Bordéus” (2001) e séries de televisão como é o caso da série “O Nosso Cônsul em Havana”, sobre Eça de Queiroz, exibido na RTP1.

AnteriorSeguinte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

COMUNIQUE UMA OCORRÊNCIA
NO TERRITÓRIO DE BAIÃO

Alerte a Câmara Municipal de Baião para OCORRÊNCIAS no espaço público (quedas de árvores, fugas de água, estrada danificada, animais abandonados, entre outros…).

Clique AQUI para aceder à página de submissão de alertas.

Baião agradece-lhe o tempo dispensado.
Obrigado! 👍

Terça-feira 31°19°CQuarta-feira 36°19°CQuinta-feira 35°18°CSexta-feira 32°17°CSábado 34°21°CDomingo 37°17°C

CONTACTOS ÚTEIS

Câmara Municipal

255 540 500

Praça Heróis do Ultramar 4640-158 Campelo - Baião

Seg. a Sex. : 09h às 13h - 14h às 17h

 

Auditório Municipal

255 542 918

Seg. a Sex. :  09h às 13h - 14h às 17h

 

Posto de Turismo

255 540 562

Seg. a Sex. : 09h às 13h - 14h às 17h Sáb e Dom. : 10h às 13h

 

Museu Municipal

255 540 550

Seg. a Sex. : 09h às 13h - 14h às 17h

Ver todos

[wpc-weather id=”69316″/]

FARMÁCIAS EM BAIÃO

Farmácia Queirós Cunha | Campelo

Morada
Rua de Camões, 172
Campelo

Telefone
255 542 340

Horário
Todos os dias > 08h30 às 22h00
Serviço noturno alternado

Farmácia Barbosa | Campelo

Morada
Rua de Camões, 360
Campelo

Telefone
255 541 113

Horário
Todos os dias > 08h30 às 22h00
Serviço noturno alternado

Farmácia Rocha Barros | Ancede

Morada
Rua da Capelinha, 71 e 75
Ancede

Telefone
255 551 425

Horário
Segunda a Sexta > 08h30 às 20h00
Sábado> 09h00 às 13h00 e 14h00 às 20h00
Domingo e Feriados > 09h30 às 13h00
Restantes horas, disponibilidade permanente mediante contacto telefónico

Farmácia de Gestaçô | Gestaçô

Morada
Rua Soeiro Pereira Gomes, nº 30
Gestaçô

Telefone
254 888 006

Horário
Segunda a Sexta > 09h00 às 20h30
Sábado > 09h às 13h00 e 14h30 às 20h30
Restantes horas, disponibilidade permanente mediante contacto telefónico

Farmácia Santa Marinha | Sta. Marinha do Zêzere

Morada
Rua 20 de Junho – Edifício Central Zezerense, LJ H
Santa Marinha do Zêzere

Telefone
254 888 193

Horário
Segunda a Sexta > 09h00/20h30
Sábado> 09h00-13h00 e 14h30-20h30
Domingo e Feriados > 09h00-13h00
Restantes horas, disponibilidade permanente mediante contactos telefónico

Farmácia Cardoso Cruz | Sta. Marinha do Zêzere

Morada
Rua 1º de Maio, nº 161
Santa Marinha do Zêzere

Telefone
254 881 900

Horário
Segunda a Sexta > 09h00/19h00
Restantes horas, disponibilidade permanente mediante contacto telefónico